CHAPA 01-CE

Candidatos:

ANTONIO LUCIANO DE LIMA GUIMARÃES (Titular) e Henrique Alves da Silva (suplente)
NAPOLEÃO FERREIRA DA SILVA NETO (Titular) e Naiana Madeira Barros Pontes (suplente)
Rebeca Gaspar Maia (Titular) e ANDRÉ SOARES LOPES (suplente)
Lucas Ribeiro Rozzoline Muniz (Titular) e DENISE SÁ BARRETO REBOUÇAS SEOANE (suplente)
FRANCISCO ANTONIO LAPROVITERA TEIXEIRA (Titular) e FRANCISCO EDILSON PONTE ARAGAO (suplente)
JÉSSICA CHAVES RIBEIRO (Titular) e Mayara Carolina Araújo de Paula (suplente)
LEONARDO DAVID RIBEIRO (Titular) e Thais Oliveira Ponte (suplente)
RAPHAEL PIRES DE SOUZA (Titular) e AUGUSTO CÉSAR CHAGAS PAIVA (suplente)
DANIEL BENEVIDES PARENTE (Titular) e MARCELO MOTA CAPASSO (suplente)
CLELIA LEITE CARVALHO XAVIER (Titular) e Solange Maria de Oliveira Schramm (suplente)

Obs. Veja a síntese de currículos de cada candidato após o plano de trabalho.

Plano de trabalho:

"O arquiteto e urbanista deve defender o direito à Arquitetura e Urbanismo, às políticas urbanas e ao desenvolvimento urbano, à promoção da justiça e inclusão social nas cidades, à solução de conflitos fundiários, à moradia, à mobilidade, à paisagem, ao ambiente sadio, à memória arquitetônica e urbanística e à identidade cultural." "O arquiteto e urbanista deve considerar os colegas como seus pares, detentores dos mesmos direitos e dignidade profissionais e, portanto,deve tratá-los com respeito, enquanto pessoas e enquanto produtores de relevante atividade profissional." (Código de Ética e Disciplina do CAU/BR) Um Conselho de Arquitetura e Urbanismo para os arquitetos urbanistas. É isso que defendemos. No Ceará, nossa profissão ainda é pouco reconhecida. Essa situação dificulta nossa contribuição para a construção qualificada dos espaços, para a inserção de novos profissionais de arquitetura e a valorização dos profissionais mais experientes. Tal dificuldade tende a se ampliar com a mudança do mercado de trabalho, provocada pelas novas tecnologias, práticas sociais e de mercado, e ampliação do acesso à formação superior em arquitetura e urbanismo. Reverter essa situação histórica, mesmo na atual conjuntura de crise, só poderá se dar a partir da defesa da ética e do profissionalismo. Nosso Conselho, visto sua natureza representativa e congregadora, deve abandonar a postura elitista e excludente, e mesmo a neutralidade cartorial, pela defesa do profissionalismo bem estruturado. Bases para o empreendedorismo includente, ampliação dos espaços de atuação profissional, formação qualificada e continuada, melhor comunicação com os pares e a sociedade resumem nossas bandeiras. Para que esse importante objetivo seja cumprido, propomos realizar no triênio de 2018 a 2020 o seguinte plano de ação para o CAU Ceará: -Instituir e incentivar novos modelos de negócio que ajudem a expansão do mercado de trabalho, como parcerias de apoio de formação para o micro e médio empreendedorismo, pesquisas de mercado, busca de linhas de financiamento de serviços, e incluindo novas clientelas dos serviços de arquitetura, como os escritórios populares de arquitetura, ampliando a atuação na Região Metropolitana de Fortaleza e nas cidades do interior; -Promover campanhas para ampliar a presença de arquitetos urbanistas nas prefeituras dos 184 municípios do Ceará, dialogando com os governos Estadual e municipais para disseminação do planejamento e controle urbanos; -Defender e implementar no Ceará, a Resolução 51 do CAU/BR, que regula as atribuições exclusivas dos arquitetos e urbanistas, instituindo comissão própria para este fim e abrindo negociações efetivas com o CREA-CE, a exemplo de outros CAU’s; -Encaminhar ao CAU/BR a proposta de reduzir em 50% a anuidade seja de pessoa física ou de pessoa jurídica, para colegas que pagarem as duas anuidades simultaneamente; -Ampliar a transparência na gestão do CAU-CE, estruturando a ouvidoria e realizando atividades com a ampla participação de profissionais e visibilidade social; -Realizar anualmente, a Conferência Estadual do CAU-CE, na qual o Conselho, juntamente com os profissionais, farão a avaliação das atividades e metas realizadas; -Implantar o modelo de fiscalização inteligente, mudando a prioridade punitiva e persecutória da fiscalização conservadora, e implementando a fiscalização preventiva; -Promover debates e seminários sobre temas relativos a ética profissional; -Intensificar as ações de debate e verificação da qualidade dos cursos de arquitetura e urbanismo, estabelecendo critérios mínimos de transparência do processo de ensino das instituições, articuladas ao registro dos novos profissionais; -Implementar o Programa de Educação Continuada, fomentando a constante atualização profissional em diversos temas importantes para a profissão; -Implementar os escritórios regionais descentralizados do CAU Ceará no interior; -Implantar sede própria do CAU-CE no centro de Fortaleza, com uma estrutura adequada às atividades do Conselho, articuladas a um espaço de coworking para que colegas trabalhem de maneira colaborativa; -Promover a criação de comissões temporárias para debate de assuntos importantes para a profissão e para a nossa cidade, como por exemplo, a comissão de Política Urbana e Ambiental e de Política Profissional do CAU-CE, ou da Lei de Assistência Técnica. Tarefas para os nossos conselheiros federais (titular e suplente): -Participar da elaboração do projeto de Residência Técnica em Arquitetura e Urbanismo, garantindo competência para o desempenho de atribuições específicas; -Contribuir para o aperfeiçoamento do sistema de Difusão e Julgamento de Conduta Ética Profissional; -Contribuir para a reforma da regulamentação do Registro de Responsabilidade Técnica - RRT, reduzindo o excessivo número de tipos, simplificando a operação e valorizando o acervo profissional; -Contribuir para o aperfeiçoamento da regulamentação do direito autoral em arquitetura e urbanismo.

Candidatos a conselheiro federal e suplente:

ANTONIO LUCIANO DE LIMA GUIMARÃES ( TITULAR )

Currículo : CURRÍCULO Antonio Luciano de Lima Guimarães (Natural de Fortaleza, 1946) arquiteto e urbanista Formação Acadêmica  Arquiteto e Urbanista pela UFC, em 1973;  Curso de especialização em Patrimônio Histórico pela FAU / USP, em 1974;  Curso de especialização em planejamento local e desenvolvimento regional pela Univ. de Barcelona, Espanha, em 2004/2006; PARTICIPAÇÃO EM ENTIDADES E CONSELHOS PROFISSIONAIS Atuação no CAU BR 2012/2017  Conselheiro Suplente do CAU/BR eleito para o mandato 2015/2017, com atividades nas Comissões: • CPUA - CAU/BR – Comissão de Política Urbana e Ambiental; • CTHEP – Comissão Temporária de Harmonização do Exercício Profissional (função de resolver as demandas de Resoluções conjuntas com o CONFEA) indicado pelo Conselho Diretor do CAU/BR na condição de especialista – 2016/2017; • CTDC – Comissão Temporária do Direito a Cidade do Conselho de Defesa dos Direitos Humanos da Secretaria Especial de Direitos Humanos do Governo Federal, designado pelo Presidente do C

HENRIQUE ALVES DA SILVA ( SUPLENTE )