Destaques

Participe: Câmara realiza Fórum Interativo sobre regularização fundiária urbana

Evento marcado para amanhã (23) é fruto de parceria do CAU/BR com a Comissão de Desenvolvimento Urbano 

A regularização fundiária urbana, instituída pela MP 759 e transformada em lei no mês de julho, será o tema do segundo debate do Fórum Interativo de Desenvolvimento Urbano, iniciativa da Comissão de Desenvolvimento Urbano (CDU) da Câmara dos Deputados em parceria com o CAU/BR. O evento está marcado amanhã (23), quarta-feira, às 8h, na Câmara dos Deputados, em Brasília. Um dos debatedores confirmados é o arquiteto e urbanista Thiago Andrade, secretário de Estado de Gestão do Território e Habitação do Distrito Federal.

Haverá transmissão online em tempo real, com espaço para participação interativa. Pela janela abaixo, já é possível se inscrever e enviar perguntas e contribuições para o debate.

(Use navegador Chrome ou Firefox para melhor visualização)

(Clique aqui caso tenha problemas em visualizar)

Entre as reformas aprovadas pelo governo Temer, a da regularização fundiária é a que teve menos destaque na imprensa nacional, mesmo com seguidas manifestações contrárias de diferentes setores e de movimentos sociais. As instituições componentes do Colegiado das Entidades Nacionais dos Arquitetos e Urbanistas (CEAU) divulgaram carta aberta contra a então Medida Provisória. “Não há como se estabelecer novos regramentos para o urbano atropelando essa realidade legal, construída coletivamente desde a Constituição de 1988. A regularização fundiária não é disciplina de direito imobiliário, mas de direito urbanístico. Seu objetivo não é produzir propriedade, mas gerar cidades”, diz um trecho do documento.

Segundo o governo, a regularização fundiária urbana contribuirá para “o aumento do patrimônio imobiliário do país” por representar a inserção de capital na economia, à medida que agrega valor aos imóveis regularizados, permite ao poder público cobrar impostos (IPTU, ITR E ITBI) e facilita aos proprietários a obtenção de créditos, dando seus imóveis como garantia. Para o presidente do CAU/BR, “o fator tributário, não o social, foi determinante para deixar a urbanização em segundo plano. Precisamos gerar cidades dignas, não propriedades precárias para arrecadar impostos”.

Clique aqui para acessar a manifestação do CAU/BR e demais instituições integrantes do Colegiado das Entidades Nacionais dos Arquitetos e Urbanistas (IAB, FNA, AsBEA, ABEA, ABAP e FeNEA), ratificada no V Seminário Legislativo de Arquitetura e Urbanismo, em março deste ano.

Parceria

O Fórum Interativo de Desenvolvimento Urbano foi criado como espaço permanente de debates sobre os grandes temas nacionais relacionados às áreas de atuação da CDU e do CAU/BR. As audiências interativas serão realizadas toda primeira quarta-feira do mês, sempre com transmissão pelo E-democracia. O apoio técnico é dado pelo LabHacker da Câmara dos Deputados, grupo que promove o desenvolvimento colaborativo de projetos inovadores em cidadania relacionados com o parlamento. 

Fonte: CAU/BR

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

OUTRAS NOTÍCIAS

Acesso gratuito da ABNT no CAU/CE

Arquiteto(a) e Urbanista deve fazer RRT ao realizar atividades técnicas de Arquitetura e Urbanismo

Chamamento Público: CAU/CE busca parcerias para a EXPOCONSTRUIR Nordeste 2024

Skip to content