Destaques

Pesquisa CAU/BR revela perfil profissional dos arquitetos e urbanistas brasileiros

Pesquisa do CAU/BR realizada em parceria com o Instituto Datafolha trouxe informações inéditas sobre o perfil profissional dos arquitetos e urbanistas do Brasil. Trata-se do maior levantamento já realizado no país desde o Censo do Arquitetos e Urbanistas, realizado em 2012, quando do registro de todos os profissionais no recém-criado Conselho de Arquitetura e Urbanismo. “Necessitamos de informações precisas para trabalharmos as ações do CAU, tanto para o planejamento da entidade, quanto para melhorar a comunicação com os profissionais“, afirmou o presidente do CAU/BR, Luciano Guimarães.

Descobriu-se que os arquitetos e urbanistas brasileiros são na sua maioria jovens, com 38 anos em média, a maioria composta por mulheres (64%) e profissionais liberais ou autônomos (55%). Atuam principalmente nas capitais e regiões metropolitanas (66%) e uma parcela significativa (24%) atuam em outras áreas além de Arquitetura e Urbanismo.

A Pesquisa de Avaliação do CAU realizada pelo Instituto Datafolha em maio, com 1.500 arquitetos e urbanistas e 500 empresas de Arquitetura e Urbanismo entrevistados por telefone, foi feita de acordo com a distribuição etária e geográfica da base total de registros realizados junto ao CAU. Nessa mesma pesquisa, os profissionais avaliaram positivamente os serviços oferecidos pelo CAU/BR e pelos CAU/UF (Saiba mais aqui).

 

 

PRINCIPAIS ATIVIDADES E RENDA
Segundo o levantamento, as principais atividades realizadas por arquitetos e urbanistas são Projetos de Arquitetura (87% atuaram na área nos últimos dois anos), Arquitetura de Interiores (68%) e Execução de Obras (64%). Outras atividades realizadas nos últimos dois anos foram Projetos Complementares (49%), Gestão e Consultoria (30%), Paisagismo (28%) e Serviço Público (23%).

Nas empresas de Arquitetura e Urbanismo, as atividades mais recorrentes nos últimos dois anos são Projeto de Arquitetura (89%), Arquitetura de Interiores (71%), Execução de Obras (58%), Gestão e Consultoria (57%), Projetos Complementares (43%) e Paisagismo (30%).

 

 

Quanto à renda, 50% dos arquitetos e urbanistas declarou faturar mais de cinco salários mínimos, enquanto 20% disse receber de três a cinco salários mínimos, e 22% menos que três salários mínimos. Cerca de 8% dos entrevistados não responderam. De modo geral, 37% dos profissionais entrevistados declararam-se “satisfeitos ou muito satisfeitos” com sua renda atual, enquanto 34% se dizem “mais ou menos satisfeitos”, 13% “insatisfeitos” e 15% “muito insatisfeitos”.

Os métodos mais utilizados pelos arquitetos e urbanistas para captação de clientes são Redes Sociais (45%) e estímulo a indicações de clientes (44%), seguido por site pessoal com portfólio (11%) e propaganda “boca a boca (10%). A pesquisa permitia múltiplas respostas. Dezoito por cento dos profissionais e das empresas entrevistados já realizaram serviços de Habitação de Interesse Social, enquanto 8% dos profissionais e 11% das empresas disseram já ter prestados serviços de Arquitetura e Urbanismo em outros países.

 

 

ORÇAMENTOS E TECNOLOGIA
Os valores dos serviços prestados pelos arquitetos e urbanistas são calculados principalmente por meio da quantidade de metros quadrados da obra (56%), de acordo com a solicitação do cliente (29%), Tabela de Honorários do CAU (21%) e porcentagem sobre o CUB (16%). Entre as empresas, o valor é cobrado principalmente sobre a hora técnica dos profissionais (51%), seguido do valor por metro quadrado (48%), porcentagem sobre o CUB (18%) e Tabela de Honorários do CAU (17%). A pesquisa permitia, em ambos os universos, múltiplas respostas.

Quanto ao uso de tecnologia, a maioria dos profissionais utiliza-se de Notebooks (85%) e PCs (84%), com softwares CAD (85%), 3D (77%) e de renderização (68%). O uso de software BIM é significativo: 36% dos profissionais e 37% das empresas utilizam essa tecnologia em seus projetos. A grande maioria das empresas (70%) diz-se satisfeita ou muito satisfeita com as tecnologias presentes no local de trabalho. A internet já é o meio mais usado para se informar sobre as novidades da Arquitetura e Urbanismo, abrangendo 95% dos profissionais. Nas redes sociais, 74% usam Instagram, 50% o Facebook e o Pinterest, e 28% o Linkedin.

 

 

A Pesquisa CAU/BR-Datafolha 2019 captou muitas outras percepções de profissionais e empresas, em relação ao mercado de trabalho, áreas de atuação profissional e muitos outros temas. Clique aqui para conhecer os resultados referentes à percepção dos profissionais e empresas quanto aos serviços prestados pelo CAU.

A pesquisa foi contratada por meio de concorrência, sendo a segunda realizada pelo CAU/BR em parceria com o Datafolha. Em 2015, foi feita uma pesquisa junto a toda a sociedade brasileira, com entrevistas realizadas em 177 municípios do país. Entre os principais resultados, descobriu-se que 85% da população que já fez obras de reforma ou construção não utilizaram a assistência técnica de profissionais legalmente habilitados. Foi o maior diagnóstico do setor de Arquitetura e Urbanismo já feito no Brasil, com pesquisas quantitativa e qualitativa, de forma a traçar um panorama abrangente sobre o que a população brasileira pensa sobre o tema.

 

Fonte: CAU/BR

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

OUTRAS NOTÍCIAS

Escritório cearense vence o Prêmio ArchDaily Brasil Obra do Ano 2024

CAU/CE representado na Conferência Trienal de Fiscalização do CAU/BR

CAU/CE promove minicurso “Marketing digital para arquitetos(as)”

Skip to content