Destaques

Vestígios de teatro do início do século XX são encontrados em obra realizada em Aracati

Teatro Francisca Clotilde. Aracati, março de 2016
Acervo IPHAN

Descobertas arqueológicas e arquitetônicas, encontradas no Teatro Francisca Clotilde, evidenciam a atividade teatral aracatiense no início do século XX. Em entrevista, Ramiro Teles, arquiteto do IPHAN, nos revela  detalhes sobre a obra de restauração e requalificação do Teatro Francisca Clotilde.

Que importância terá o Teatro Francisca Clotilde na revitalização do centro histórico de Aracati?

Trata-se do único equipamento cultural público do Centro Histórico de Aracati, que funcionará como cinema e teatro. Ele será entregue à comunidade com todos os equipamentos de áudio visual para projeções e de caixa cênica e urdimento para cumprir esta dupla função. Portanto, permitirá a partir de uma eficiente gestão, que os grupos de teatro de Aracati possam desenvolver sua arte, perpetuando a tradição dos grupos de teatro locais e permitindo a formação de público tanto para o teatro quanto para o cinema. Enfim, além de mais um imóvel de valor cultural restaurado ajudando a conservar a paisagem cultural do centro histórico, este equipamento tem um grande potencial de dinamizar a agenda cultural de Aracati.

Se fôssemos caracterizar o imóvel, em linhas arquitetônicas, como o descreveríamos?

O enquadramento do referido imóvel em vertentes estilísticas de arquitetura configura tarefa delicada. Dizemos isso tendo em vista que se trata de uma edificação adaptada a um arcabouço mais antigo, de origem provavelmente colonial, vernacular. Atualmente, seu frontispício guarda traços da arquitetura eclética, com elementos formais Art Nouveau, a exemplo dos leques que encimam as portas de acesso, resultado da reforma executada na década de 1920.

Além das salas de espetáculo e projeção que outros ambientes farão parte do projeto?

O projeto de restauro e adaptação do Teatro Francisca Clotilde buscou dotar o equipamento de infraestrutura básica para enquadrá-lo como tal. Assim, houve a criação de foyer, espaço multiuso, sanitários acessíveis, pátio ajardinado, camarote, depósito e contrarregra, caixa cênica com urdimentos e camarins.

Quando o Teatro Francisca Clotilde será entregue à sociedade aracatiense?

A previsão atual do término da obra é julho de 2016. Mas deve-se considerar que as complexidades inerentes às obras de restauro e de fluxo de pagamentos do Governo Federal possam adiar um pouco mais a sua entrega à comunidade.

Por que obras de restauro e requalificação são tão demoradas?

São vários os motivos, a começar pela etapa anterior ao início da obra que, sendo pública, deve obedecer um trâmite administrativo a envolver elaboração de projeto básico, aprovação de recursos orçamentários, instrução de processo de contratação, lançamento de edital de licitação (com prazos para recursos e de manifestação dos concorrentes), licitação em si (com os prazos supracitados) até a decisão do vencedor e autorização para início da obra.

Esta, por sua vez, por se tratar de imóvel com valores culturais referenciados na sua estrutura física, não pode ser tratada como uma simples reforma ou obra nova, pois as remoções de anexos espúrios devem ser cuidadosas e cada decisão de projeto tem que ser fundamentada por prospecções ou escavações arqueológicas como as que foram feitas no Teatro Francisca Clotilde.

Se mensurarmos em dados percentuais, quanto da obra já foi realizada?

Cerca de 70%

Houve alguma alteração no projeto original?

As alterações havidas foram pontuais, de cunho técnico e relativas a adaptações dos projetos complementares hidrossanitários e elétricos, não se rebatendo em qualquer alteração funcional do partido arquitetônico/espaços internos. Afora isto, as escavações arqueológicas revelaram a existência de um antigo palco em níveis mais profundos do terreno, o qual foi evidenciado e será apresentado permanentemente aos visitantes do teatro sob um piso de vidro. O referido palco encontra-se entre o novo palco proposto e o depósito de contrarregra.

Alguma descoberta arqueológica ou arquitetônica foi efetivada durante as obras, até agora? Quais?

Sim. Dentre as descobertas arquitetônicas e arqueológicas, podemos citar a existência de um palco datado da segunda década dos anos de 1900, localizado nos fundos da estrutura do atual teatro Francisca Clotilde. Essa estrutura está relacionada à utilização do prédio como cinema do Círculo Operário Católico que se estendia em um lote do tipo português, a partir da Rua Coronel Alexanzito até a Rua Coronel Alexandrino. Além disso, estruturas de períodos mais antigos indicam a presença de uma casa típica da região de Aracati, com a edícula e os alpendres circundantes, situada entre -30 e -50 cm abaixo do piso atual do setor Foyer e, provavelmente, datada da segunda metade do século XIX.  Foram encontrados também muitos fragmentos de louça do século XIX do tipo “blue edge”, oriundos de fábricas inglesas, assim como louças portuguesas do século XVIII (o que compõem um dos maiores espólios de fragmentos de louça do estado), misturadas com ossos de animais abatidos durante as charqueadas. Essa descoberta de restos ósseos de mamíferos nesse ponto onde se encontra o atual prédio do Teatro Francisca Clotilde, indica a intensidade da exploração animal durante as charqueadas, sendo favorável à hipótese de que o seu processamento, ocorria em vários pontos da Aracati oitocentista, nos quintais das casas, nas frentes, nas praças etc. O nível das charqueadas, também, evidencia o início das medidas sanitaristas da época, uma vez que os ossos eram queimados para conter a proliferação de moscas e a consequente geração de doenças. Em vários trechos, são encontradas camadas de aterro que são intercaladas aos vestígios daqueles dois períodos, que revelam as recorrentes tentativas de conter as inundações do Rio Jaguaribe, já que a cidade de Aracati foi edificada sobre a planície de inundação do mais importante curso hídrico do Ceará.

O restauro e requalificação do Teatro Francisca Clotilde constituem etapas importantes do projeto. No futuro que outras ações serão necessárias para que o imóvel cumpra a função primordial de equipamento cultural?

Com o equipamento em condições de funcionamento, a principal medida a seguir é garantir uma boa gestão. Ao IPHAN coube a responsabilidade pela execução do projeto e da obra e esperamos que a Prefeitura Municipal de Aracati, proprietária do imóvel depois de desapropriado, ao receber formalmente a obra do IPHAN, conte com ajuda da sociedade civil para efetivar esta gestão com eficiência. Neste sentido, acreditamos que uma Sociedade de Amigos do Teatro de Aracati, à semelhança de grupos de amigos de vários museus do país, podem conseguir realizar um bom trabalho de captação e administração de recursos a fim de gerir e conservar este importante patrimônio e espera-se, um excelente equipamento cultural.

Escrito por  Marciano Ponciano Virginio

Fonte: Associação Artístico-Cultural Lua Cheia

 

 

 

 

 

Uma resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

OUTRAS NOTÍCIAS

Escritório cearense vence o Prêmio ArchDaily Brasil Obra do Ano 2024

CAU/CE representado na Conferência Trienal de Fiscalização do CAU/BR

CAU/CE promove minicurso “Marketing digital para arquitetos(as)”

Skip to content